Agricultora triplica produção de morangos orgânicos com crédito da Fomento Paraná

01 de julho de 2015Texto: ---Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente

A produção de morangos orgânicos de uma pequena propriedade rural de Bituruna, no Centro Sul do Estado, triplicou em 2014, depois que a agricultora Neliria Huff e o marido, Valdemar Ramos, receberam apoio da Fomento Paraná. Eles vivem em uma área de 22 hectares localizada em um assentamento da reforma agrária e resolveramINVESTIR  na plantação de morangos há quatro anos.

“Tentamos lidar com vacas de leite, carvão vegetal e hortaliças. Nenhum deu certo”, conta a agricultora. Com o morango foi diferente. “Começamos semINVESTIMENTO , só com o que gente tinha de dinheiro, em torno de novecentos reais. Plantamos do jeito que dava. No primeiro ano colhemos pouco”, lembra ela.

Para aumentar a produção Neliria e o marido tiveram acesso a uma linha de crédito de baixo custo da Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento do Governo do Estado. “Financiamos lona, ferro, encanamento. Com a linha de crédito da Fomento tivemos condições de aumentar eMELHORAR  a qualidade da nossa produção”, comenta a agricultora.

Além de recursos para montar uma estrutura mais aprimorada para a plantação, a agricultora também recorreu ao Emater, instituto da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento que fornece assistência técnica para famílias do meio rural. Lá o casal descobriu qual era a qualidade de morango mais indicada para plantar na região onde vivem.

“Compramos novas mudas, que vêm do Chile. Já temos mais de cinco mil pés de morangos”, explica. Com mudas melhores, a colheita triplicou rapidamente. “Montamos uma cobertura e um sistema de irrigação. Com isso, a planta não pega chuva, fica mais resistente a doenças e não apodrece. Nosso morango aguenta mais”, explica Valdemar.

Atualmente, o casal colhe mais de seis quilos de morangos por dia [em torno de 1.500 quilos por ano] e vende para projetos sociais dos governos federal e estadual. O restante da produção é destinado a pequenos mercados, padarias e também vendido de porta em porta, na cidade.

Com o aumento na renda, a qualidade de vida da família mudou bastante. “Melhorou muita coisa. A gente conseguiu comprar um carro melhor, reformar a casa e ainda sobra um dinheirinho todo mês”, comemora Neliria.

Como a plantação de morangos ocupa uma área reduzida da propriedade, os agricultores colaboram com a preservação ambiental, uma vez que não desmatam as plantas nativas. “Nem mexemos no restante do lote, deixamos que a natureza fique preservada e vá se renovando”, explica Valdemar.

BAIXO CUSTO - Sobre as condições doFINANCIAMENTO  da Fomento Paraná, a agricultora é taxativa: não existem melhores.

“Um juro baixo, que a gente tem condições de pagar e com parcelas mensais. Para nós, compensou muito. Graças a este incentivo conseguimosMELHORAR  de vida. Se a gente precisar de novo, vou lá na Fomento, porque vale a pena”, afirma ela.

Desde 2011, a Fomento Paraná firmou mais de 10 mil contratos de microcrédito [operações de até R$ 15 mil] e liberou quase R$ 100 milhões de reais em operações desse tipo. Com isso, milhares de micro e pequenos negócios cresceram e se fortaleceram no Estado.

No total, envolvendo todas as operações, a instituição financeira estadual firmou mais de 12,2 mil contratos e liberou R$ 242,4 milhões de reais para apoiar empreendedores da indústria, do comércio e do setor de serviços, além de pequenos agricultores, em todas as regiões do Estado.

Fonte: Fomento Paraná com AENPR


 
Compartilhe:

Prefeitura Municipal de Bituruna 2018. Todos os Direitos Reservados.